Monthly Archives: outubro 2012

Organizar os alimentos na geladeira pode ajudar a manter dieta saudável

Bem Estar desta quarta-feira (24) deu dicas de onde guardar os alimentos.
Produto calórico deve ser colocado em pote colorido para não ficar visível.

Ter uma geladeira organizada pode ajudar muito na dieta. Geralmente, as pessoas abrem a geladeira em busca de algo para comer e acabam recorrendo às opções mais calóricas, o que pode comprometer a alimentação. Por isso, é importante saber como organizá-la para não cair em tentação, como explicou o endocrinologista Alfredo Halpern.

Por exemplo, os alimentos mais calóricos devem ser guardados em potes fechados e não transparentes para que não fiquem visíveis. Além disso, eles devem ser colocados em prateleiras inferiores ou atrás dos alimentos saudáveis, sempre em pequenas quantidades para inibir o consumo, como mostrou o professor de marketing Francisco Alvarez.

Já as frutas e verduras podem ser consumidas a qualquer hora; a dica é colocá-las em pequenas quantidades em potes transparentes para ficarem bem visíveis e facilitar na hora que a pessoa abrir a geladeira em busca de algo para comer.

De acordo com o engenheiro e gerente de produtos Fábio Machado, as hortaliças e verduras que ainda não foram cortadas podem ser guardadas na gaveta mais baixa. Caso esses alimentos sejam cortados, podem ser guardados em potes e colocados nas prateleiras acima da gaveta.

As frutas também devem ficar na parte de baixo da geladeira, onde a temperatura não é tão fria. Alguns refrigeradores têm gavetas específicas para as frutas.

Proteger os alimentos dentro de recipientes é um passo muito importante para mantê-los conservados. O acondicionamento em potes plásticos e saquinhos evita que os resíduos sujem o refrigerador, impede a propagação de odores e facilita a transmissão térmica, deixando o alimento resfriado e preservado.

É importante também que a própria geladeira seja preservada e, para que isso aconteça, a pessoa deve evitar guardar alimentos quentes e abrir a porta várias vezes e por longos períodos ao longo do dia. Isso garante a eficiência do refrigerador e também ajuda a economizar energia. A disposição adequada dos alimentos também contribui para a circulação do ar, mantendo a temperatura correta e uniforme dentro da geladeira.

Para evitar exageros e excessos, a dica é montar sugestões de cardápios antes de ir ao supermercado fazer as compras para abastecer a casa. Dessa maneira, a pessoa compra itens em quantidades suficientes para serem consumidos rapidamente, sem encher a geladeira desnecessariamente.

Fonte: g1.com/bemestar

  • Facebook
  • Twitter

Comer frutas e verduras melhora o bem-estar mental

Sete porções diárias trazem mais felicidade e satisfação com a vida, aponta pesquisa

Um estudo desenvolvido pela Warwick Medical School, no Reino Unido, descobriu que comer muitas frutas e vegetais aumenta a satisfação com a vida, o bem-estar mental e a felicidade. Os resultados serão publicados essa semana no Social Indicators Research.

Os pesquisadores colheram informações sobre os hábitos alimentares de 80 mil homens e mulheres na Grã-Bretanha, que responderam perguntas sobre o consumo diário de frutas e vegetais, a rotina de exercício físico, a situação no emprego e a incidência de hábitos como beber e fumar. Além disso, eles preencheram com notas de 1 a 10 os seus níveis de satisfação com a vida, o bem-estar mental, a felicidade, o nervosismo e a autoestima.

Analisados os resultados, os cientistas verificaram que quem comia cerca de sete porções de frutas e vegetais por dia era três vezes mais satisfeito com a própria vida, se comparado com aqueles que comiam menos. Quanto menos desses alimentos os indivíduos comiam, menos satisfeitos eles eram. O grupo das sete porções ou mais foi o que atingiu o pico de felicidade. A pesquisa não fez distinção entre os tipos de frutas e vegetais.

Os pesquisadores afirmam que os resultados já eram esperados, uma vez que o consumo de frutas e verduras tem sido relacionado em estudos a diversos benefícios, como um menor risco de doença cardíaca e câncer, além de auxílio no controle do peso e da pressão arterial. Para os autores da pesquisa, as vitaminas e outros nutrientes presentes nas frutas ajudam o organismo a funcionar melhor, influenciando as funções cognitivas e áreas do cérebro responsáveis por combater o mau humor.

Inclua mais frutas e verduras na dieta com esses hábitos
Fontes de vitaminas e minerais, vegetais e frutas deveriam ser consumidos todos os dias em pelo menos cinco porções.

Carregue na bolsa para o lanche

“Transportar frutas ou pequenos legumes para o trabalho deve ser encarado como um ato de cuidado com a saúde e com o corpo e não como um fardo ou sacrifício”, aponta Amanda Epifanio Pereira, do Citen.

Faça combinações

Tem quem diga que as saladas e frutas não têm gosto. Contra isso, uma dica é combiná-las com alimentos que você gosta de comer: frango desfiado, atum, ovo, queijo branco, peito de peru e salmão. Segundo a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional, são opções saudáveis que deixam a refeição mais completa. Nozes, castanhas, sementes de gergelim, ervilha, grão de bico e soja também podem entrar na mistura.

Inove no preparo

Alguns legumes apetecem mais quando cozidos ou refogados. Pense nisso antes de decidir o que vai ser servido cru na salada. “Mas não vale adicionar manteiga ou óleo demais no preparo”, afirma a nutricionista Paula Castilho, da Sabor Integral Consultoria.

Fonte: Minha vida

 

  • Facebook
  • Twitter

Mudar hábitos e emagrecer fica mais fácil quando envolve amigos e família

Algumas pesquisas mostram que pessoas engordam e emagrecem juntas. Endocrinologistas deram dicas para mudar os hábitos e levar vida saudável.

Mais de 90 milhões de brasileiros estão acima do peso e 28 milhões são obesos. Esses números só crescem e custam cada vez mais aos cofres do país e aos próprios obesos, que podem desencadear doenças do coração, diabetes, hipertensão, infertilidade e apneia do sono.

Pesquisas mostram que quem convive com obesos têm 57% mais chances de engordar também. A interferência dos amigos é maior do que de vizinhos ou família e, no caso de melhores amigos, essas chances aumentam 171%.

Por isso, é importante envolver pessoas próximas no processo de mudança de hábitos e emagrecimento para conseguir melhores resultados, como explicaram os endocrinologistasAlfredo Halpern e Rosana Randominsk.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os três principais passos para evitar o aumento de peso são: comer bem, praticar atividade física diariamente e ter cuidado com amigos e parentes “sabotadores”. É preciso também prestar atenção em alguns alimentos que geralmente são incluídos nas dietas, mas que têm calorias e gorduras.

Por exemplo, a bolacha de água e sal não emagrece e tem muitas calorias; o iogurte integral não é a melhor opção e deve ser substituído pelo desnatado; a água de coco também tem muita gordura, apesar de ser rica em potássio; o açaí é uma das frutas mais calóricas que existem; por fim, o lanche natural tem muitas calorias por causa dos molhos e alguns tipos já são até mesmo industrializados.

No entanto, o consumo de leite e queijo pode emagrecer porque o cálcio desses alimentos interfere na absorção de gordura. Eles podem ser aliados na dieta, mas não são os únicos que devem ser ingeridos: a regra sempre é comer com moderação.

Além disso, os médicos mostraram algumas trocas que podem acontecer dentro de casa para melhorar a qualidade de vida de toda a família.

Fonte: Bem Estar

  • Facebook
  • Twitter

Corte até 170 calorias dos alimentos com atitudes simples

Hábitos como diluir o suco natural e tirar a pele do frango emagrecem o cardápio

Muita gente pensa que cortar as calorias do cardápio vale só para quem faz dieta. Puro engano. Quem quer manter o peso e ter uma alimentação saudável também precisa estar atento ao que entra no cardápio. E nem estamos falando de itens como maionese, refrigerante ou biscoito. Até um suco de frutas, rico em açúcar, entra na lista de “pegadinhas”. O problema maior são as calorias “escondidas” em certos alimentos, aquelas que você nem percebe que consome, mas que faz uma enorme diferença para a balança e para sua saúde.

Mas segundo a nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo, muitas calorias são consumidas por simples falta de informação. “Trocar o leite integral pela versão desnatada, preferir alimentos light e até diluir o suco natural são maneiras simples de economizar calorias”, conta. Confira abaixo as dicas de uma equipe de profissionais para deixar os alimentos com até 170 calorias a menos. Já pensou na economia que você pode fazer durante um único dia?

Dilua o suco natural

Por serem naturais, muitas pessoas acreditam que sucos de frutas podem ser consumidos sem qualquer moderação. Mas a realidade é bem diferente. “Em média, um suco com três laranjas contém 200 calorias”, explica a nutricionista Roseli. Por isso, ela recomenda diluir a bebida para reduzir o teor calórico.

Controle o óleo usado para refogar alimentos.

Antes de sair despejando óleo na panela para refogar os alimentos, saiba que cada grama de gordura possui nove calorias, conta a nutricionista Roseli. “Isso significa que com pouco mais de uma colher de sopa, você facilmente acrescenta 90 calorias à comida”, diz. Segundo a especialista, o segredo é refogar tudo com água em fogo baixo ou com uma colher de café de margarina sem sal. A refeição continua gostosa e mais saudável.

Prefira as versões light

Com o tempo, criamos o hábito de pegar sempre os mesmos produtos no supermercado. Mas ao lado dos tradicionais, geralmente há uma outra opção do mesmo alimento: a versão light. Para você ter uma ideia de como essa mudança simples faz toda a diferença: uma pacote de pipoca tradicional contém 500 calorias, contra 360 da versão light. Já um potinho de 180 g de iogurte natural conta com 160 calorias, contra 56 da versão light. O mais surpreendente, porém, é o bolo de chocolate. Enquanto que a versão light chega a consideráveis 230 calorias, a versão tradicional conta com 500 calorias.

Experimente assar

Você pode estranhar o sabor de início. Mas percebendo a queda no número de calorias da versão frita para a versão assada dos alimentos, certamente irá se tornar um adepto desse modo de preparo. Trocar a batata frita pela assada, por exemplo, corta 60 calorias. Investir na versão assada do hambúrguer, por sua vez, elimina 50 calorias do prato, aponta Amanda Epifanio.

  • Facebook
  • Twitter

Decifre a pirâmide alimentar e monte a sua própria dieta

De uns tempos para cá, ficou mais difícil arranjar argumentos para explicar os quilinhos a mais ou o colesterol alto. Por que? Simples: preocupados com a qualidade da alimentação, os especialistas se reuniram e montaram um diagrama que contém todas informações necessárias para você montar refeições saudáveis. Trata-se da famosa pirâmide alimentar, desenvolvida pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos em 1992.

A ilustração, em formato triangular e separada por blocos, indica quais nutrientes devem ser priorizados na alimentação do dia-a-dia. Tudo de maneira bem simples e objetiva.

Segundo a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, a divisão dos grupos alimentares e de quais alimentos fazem parte de cada pedaço da pirâmide, é baseada em diversos fatores. A cultura, as preferências e o padrão alimentar da população são levados em consideração . É por este motivo que existem variações dessa ferramenta educativa.

Exemplo disso são os guias alimentares formulados pelos países orientais. Na China e na Coréia, a imagem de um pagode (construção típica destes países) retrata as indicações de uma alimentação saudável , lembra a nutricionista. Ela conta ainda que, no Canadá, a ilustração é baseada em um arco-íris. Já nos países como Austrália, Alemanha, México e Portugal a representação circular entra em cena.

Por trás das imagens

As mudanças realmente significativas não estão ligadas ao desenho da pirâmide, mas sim à quantidade ideal das porções de cada grupo, variada de acordo com os hábitos da população.

O Brasil também adota o formato da pirâmide, como nos Estados Unidos, mas o nosso diagrama tem alguns pontos diferentes. A norte-americana apresenta seis grupos alimentares. Já a nossa pirâmide está dividida em oito grupos: cereais, pães, tubérculos e raízes; hortaliças; frutas; leite e derivados; carnes e ovos; leguminosas; óleos e gorduras; açucares e doces , ressalta a especialista.

Entre os grupos a mais, encontram-se as leguminosas. O feijão tem papel marcante na alimentação cotidiana dos brasileiros. Por isso, as leguminosas aparecem desvinculadas do grupo das carnes e dos ovos , explica Roberta. A outra distinção fica por conta da separação dos açúcares e das gorduras essa, simplesmente, por uma questão organizacional.

Entendendo a pirâmide

Os grupos que constroem a pirâmide foram agrupados a partir de suas características nutricionais e dividem-se em porções. Cada porção, por sua vez, tem um número de calorias determinado. Com as calorias da embalagem fica fácil calcular a quantidade necessária de cada alimento para formar uma porção, ensina Roberta.

Minha pirâmide
Se o objetivo é emagrecer, manter ou, ainda, ganhar peso, não importa. A pirâmide pode servir de base para alcançar todas as metas. Independente do caso, a quantidade mínima de cada grupo deve ser ingerida , alerta a nutri sobre a única ressalva sobre o método.

Roberta só esclarece que, se a restrição calórica for grande, é possível excluir os grupos de gorduras ou açúcares da alimentação. Isso porque esses nutrientes são naturalmente consumidos e, isolados, não fornecem nutrientes importantes para o organismo.

Como exemplo, ela cita o açúcar. Trata-se de um alimento energético que pode ser excluído, já que o grupo dos cereais, pães, tubérculos e raízes também faz parte do mesmo grupo. No mais, basta seguir as orientações, de acordo com o seu plano. O primeiro passo é saber qual a sua necessidade calórica , diz a nutri.

Fonte: Minha vida

  • Facebook
  • Twitter