Monthly Archives: julho 2012

Esportes que se completam

Parece até que nasceram um para o outro. Estamos falando de esportes que, segundo especialistas no assunto, são parceiros na tarefa de fortalecer os principais grupos musculares e deixar a saúde em dia

Forçar os músculos a trabalhar em equipe — e, de preferência, da cabeça aos pés. Essa é a melhor receita para um corpo saudável. O problema é que nenhuma modalidade esportiva sozinha consegue a proeza de beneficiar o organismo como um todo, já que a prática isolada desta ou daquela privilegia certas regiões em detrimento de outras. Daí a importância de investir em dois esportes que se complementam. Essa é uma das recomendações mais quentes dos educadores físicos.

A dica, portanto, é apostar em pelo menos uma das duplas de esportes que mostraremos a seguir, levando em conta, claro, suas preferências. Sejam elas quais forem, é crucial buscar orientação profissional. Lembre-se: a ginástica, em diversos aspectos, funciona como um remédio. Portanto, dependendo da dose ou do jeito como é praticada, pode se transformar em veneno.

CICLISMO E NATAÇÃO
Dar braçadas na água significa praticar um esporte quase completo. Essa atividade trabalha os grupos musculares das costas, dos braços e os peitorais, além de exigir bastante do sistema cardiorrespiratório. Ou seja, ela serve tanto para desenvolver a musculatura dessas regiões como para queimar calorias e melhorar a saúde do coração e dos pulmões.
Porém, ela não favorece o impacto, como ocorre quando há contato físico com o solo. E isso é importante para a absorção de cálcio pelo esqueleto. É aí que entra o ciclismo como parceiro ideal. Ele contribui para evitar a osteoporose, já que o contato do solo com a roda repercute no praticante. Fora que, ao andar de bicicleta, você trabalha as pernas, menos exigidas no esporte aquático. Para os que não pedalam por medo de problemas na coluna, comuns nessa modalidade, um aviso: a natação é ótima para acertar a postura.

 

HIDROGINÁSTICA E CORRIDA

A hidro não força o esqueleto. Por isso é uma das melhores saídas durante a recuperação de um problema ósseo. Mas a atividade não é benéfica só em casos como esse. Apesar de menos intensa do que outros treinos convencionais de academia, a hidroginástica tonifica bastante os músculos. E ainda tem a vantagem de não exigir uma técnica complexa, diferentemente da natação, por exemplo, que demanda um prazo relativamente longo de adaptação e treino até que todos os movimentos sejam assimilados corretamente pelo praticante.

Para completar, a hidro reconhecidamente melhora a saúde cardiovascular. Só que, sem dúvida, nesse quesito a corrida está alguns passos à frente. E, se é verdade que não trabalha muitos grupos musculares, concentrando-se nos membros inferiores, é certo que compensa essa deficiência ao deixar os ossos fortalecidos, em razão do impacto das pisadas no solo. Entretanto, é claro que a pessoa precisa se submeter a avaliações antes de correr. Os sedentários devem começar com caminhadas e aumentar o ritmo gradativamente. Importante ressaltar, que deve ser praticado sempre sob a supervisão de um especialista.

 

Fonte: Revista SAÚDE

  • Facebook
  • Twitter

A dieta dos músculos

Saiba o que pôr no prato para turbinar a musculatura de maneira saudável

Muita gente acredita que frequentar regularmente a academia já é suficiente para desenvolver a musculatura. Isso, no entanto, não é verdade. Afinal, de nada adianta forçar seus bíceps se você não ingerir os nutrientes de que eles precisam. O primeiro passo é abastecer seu corpo com as substâncias que vão fazer a diferença – antes mesmo de começar a atividade física. Os especialistas dizem que exercícios em jejum, por exemplo, estão proibidos. Isso porque sem o combustível que vem do alimento, o organismo vai buscá-lo na massa muscular, que acaba se degradando rapidamente. Por isso, a ordem é se alimentar cerca de duas horas antes da atividade física. Mas não vale comer qualquer coisa. Frituras, por exemplo, devem ser banidas. No lugar delas, invista nas proteínas (leite e iogurtes, por exemplo) e nos carboidratos (barras de cereal, pães e frutas).

Também é importante manter-se hidratado. Isso porque a água garante o funcionamento adequado de todas as células, incluindo as dos músculos. E, apesar de não ser a protagonista, ela está envolvida até na síntese proteica. Além disso, a desidratação – acredite – contribui para fazer a musculatura murchar. Então, durante os treinos, lembre-se de beber muito líquido.

Após a malhação, continue ligado no que põe no prato, caprichando nas proteínas para reabastecer o corpo (e os músculos). Aliás, os especialistas recomendam que a necessidade diária desse nutriente seja suprida por meio de alimentos de origem animal e até mesmo da soja – esta última é indispensável em uma dieta vegetariana do malhador de carteirinha. E, claro, não deixe os carboidratos de lado em qualquer refeição pós-treino.
Para os amantes da academia
Quem faz musculação pesada quase todos os dias deve abastecer seu estoque de energia com carboidratos em um período próximo do exercício. Alguns experts até sugerem que essa ingestão deva ser feita quinze minutos antes de começar a puxar ferro. Consulte um nutricionista com experiência no assunto – ele vai dar uma orientação específica para o seu caso.
Após o treino pesado, procure ingerir uma boa fonte de carboidrato em estado líquido, ou seja, uma solução com esse nutriente dissolvido – do tipo que vem em sachês. E, quanto antes você engolir esse preparado, melhor. É que o nutriente é absorvido pelo músculo com mais eficácia logo após a ginástica – e isso potencializa a recuperação e o desenvolvimento da musculatura. Mas atenção: só um especialista pode prescrever esse tipo de suplemento alimentar.

 

Fonte: Revista SAÚDE

  • Facebook
  • Twitter

Cortar alimento em pequenos pedaços pode ajudar a controlar o peso

Estudo afirma que ingerir o alimento já cortado passa maior sensação de saciedade

Se você quer emagrecer ou controlar o peso e não consegue resistir àquela barra de chocolate, uma dica é cortá-la e comer pequenos pedaços por vez – é o que afirmam os pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona (EUA). De acordo com os autores do estudo, cortar um alimento em pedaços antes de comê-lo faz com que a pessoa se sinta satisfeita mais rápido. Os resultados foram apresentados na reunião anual da Society for the Study of Ingestive Behavior, realizada em Zurique, na Suíça.

A equipe acompanhou cerca de 300 estudantes do sexo masculino e feminino, que foram divididos em dois grupos. O primeiro recebeu um pão do tipo baguete coberto com cream cheese, e o segundo ganhou a mesma baguete, só que dividida em quatro pedaços menores. O grupo que recebeu o pão inteiro comeu um pouco mais do que aqueles que receberam o alimento cortado.

Também foi oferecido a ambos os grupos uma refeição completa gratuita, 20 minutos após o término do primeiro lanche. O grupo do pão fatiado – e que já havia comido menos – também comeu pouco na refeição

Segundo os pesquisadores, cortar o alimento em pequenos pedaços pode passar a impressão de uma quantidade maior de comida e, portanto, provoca uma maior saciedade. No entanto, os estudos ainda são considerados preliminares e ainda precisam ser revisados por especialistas para finalmente serem publicados em uma revista médica.

 

Fonte: Blog Minha Vida

  • Facebook
  • Twitter

Se esquentando no inverno com essas três dicas

Se o inverno é motivo de mau humor e preguiça para você, junte esforços para combater o principal responsável por isso: o frio. Em vez de encarar o inverno embaixo do cobertor e comer sem parar, vale experimentar as três dicas fáceis para se aquecer, a seguir.

Mexa-se antes de tomar banho

Se você faz exercícios físicos regularmente, já deve ter percebido esta dica: depois de fazer esforço, o corpo fica mais aquecido. Quando nos movimentamos, há um aumento da circulação do sangue que traz uma sensação de bem-estar e aquecimento. Por isso, você pode evitar o frio de tirar a roupa e entrar no chuveiro se antes fizer uma caminhada ou mesmo der alguns pulinhos no mesmo lugar. Esse hábito também é ótimo para não tomar banhos muito quentes, que deixam a pele e os cabelos ressecados.

Faça um aquecedor ecológico

Aquecedores elétricos podem ser muito eficientes, mas deixam a conta de luz lá em cima. Por isso, improvise em casa: pegue uma garrafa de plástico pet vazia e encha de água quente (não precisa ser fervendo para não estragar a garrafa). Tampe, enrole a garrafa em um lençol e deixe na sua cama minutos antes de você ir se deitar. Na hora de dormir, o lençol e a cama já estarão mais quentinhos para você relaxar sem tremer de frio.

Alongamento ao acordar

Esticar o corpo ao acordar é uma excelente forma de estimular a circulação do sangue em todo o corpo, assim como a automasagem. Com a musculatura aquecida por causa do alongamento, você irá sofrer menos ao abandonar a cama quentinha e terá mais disposição para seguir o dia.

 

Fonte: Blog Minha Vida

  • Facebook
  • Twitter

Saiba consumir queijos no inverno sem grandes prejuízos à dieta

Moderação é o segredo para que eles não pesem no corpo

Com a chegada do inverno, a procura por queijos aumenta, principalmente os mais gordurosos. Eles podem parecer mais apetitosos no inverno porque, para manter a sua temperatura, o corpo demanda mais energia – que virá da alimentação.

Entre os queridinhos da estação, estão o gorgonzola, gruyère, estepe ou emmental e o requeijão tipo catupiry. São queijos muito utilizados em fondues, sopas e massas, mas todos eles são muito calóricos. Uma fatia (20g) de gorgonzola tem 96 kcal. Também com altas calorias, 28g de gruyère apresenta, segundo a USDA National Nutrient Database for Standard Reference, 116 kcal.

Além das calorias, eles também possuem alto teor de gorduras. O pigmento amarelo dos queijos se dá pelo teor de gordura. Portanto, os queijos mais gordurosos são os mais amarelos. Segundo ela, a gordura é responsável pelo sabor do laticínio, o que acaba aumentando a procura daqueles mais gordurosos. Por serem ricos em gorduras saturadas, eles são responsáveis pelo aumento do nível de mau colesterol (LDL), problema que pode levar a doenças cardiovasculares. Sem contar que as calorias abundantes desses alimentos podem trazer resultados negativos na balança.

 

Sem maiores prejuízos ao corpo
Não desanime: apesar das taxas de gorduras e calorias, é possível consumi-los sem grandes prejuízos à saúde e ao peso. O segredo é a moderação. Quando consumidos em menores quantidades, os queijos gordurosos não trazem prejuízos ao corpo. Para isso nutricionistas aconselham em consumi-los no máximo duas vezes por semana.

Se optar por comer fondue hoje, volte para sua dieta com ingredientes balanceados e saudáveis no dia seguinte. O ideal é balancear as calorias e nutrientes ingeridos ao longo da semana para comer tudo o que gosta, em quantidades adequadas, sem ganhar peso. Outra dica é servir os queijos gordurosos com acompanhamentos mais saudáveis. Ela conta que, quando você desvia a atenção do queijo, acaba consumindo em menores quantidades. Procure acompanha-los de saladas e frutas, como damasco.

Se você estiver disposto a abrir mão – mesmo que um pouco – dos queijos mais amarelos, o ideal é preferir queijos mais brancos, que têm teor de gordura mais baixo. Quanto mais branco o queijo, menor a quantidade de gordura, calorias e sal. Uma excelente opção é a ricota. O tipo cottage é outra boa escolha para o preparo de fondue mais light: uma colher de sopa conta com apenas 20 kcal.

 

Fonte: Blog Minha Vida

  • Facebook
  • Twitter